shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0,00
View Cart Check Out

FOTOS_C_LOGOS

Nocentini foi 3º numa etapa difícil, no dia que Marque passou dificuldades

Rui Sousa (RP-Boavista) ganhou hoje a sexta etapa da Volta a Portugal Santander Totta, numa ligação de 182,7 quilómetros, entre Braga e Fafe. Rui Sousa, que vinha da fuga inicial, isolou-se na subida em terra batida da Pedra Sentada, a pouco menos de 20 quilómetros do fim.

A fuga obrigou o Sporting-Tavira, o Louletano-Hospital de Loulé e a Efapel a controlarem o pelotão, empregando nessa tarefa energia que tanta falta viria a fazer na fase final da tirada para atacar a camisola amarela. Com a aceleração, o pelotão principal ficou reduzido a pouco mais de dez unidades, menos do que os homens em fuga.

Rinaldo Nocentini lamentou novo problema junto da W52-FC Porto. Depois de, em Santa Luzia, ter questionado a trajectória de Raúl Alarcón, agora aponta a Amaro Antunes: “Hoje posso dizer que Amaro me viu. Estava a passar pela esquerda e fui apertado para me encostar a barreira. Ontem foi uma situação de corrida por parte do Alarcón. Hoje Amaro tentou empurrar-me para as barreiras. Não é justo, espero que o comissário faça algo”.

Rinaldo Nocentini foi o melhor do Sporting-Tavira no terceiro lugar, bonificando quatro segundos que o mantêm no segundo lugar da geral, agora a 24 segundos de Alarcón. Alejandro Marque finalizou a 1.22 minutos e desceu ao 10.º posto, agora a 1.56 de Alarcón.

O italiano explicou a dificuldade do dia e lamentou as dificuldades sentidas por Marque: “Foi uma etapa difícil, passei bem a parte final. O Alejandro Marque teve dificuldades. Era um bom homem para a geral devido ao contra-relógio. Contudo, a subida foi muito dura. A W52-FC Porto dificultou muito e agora estou sozinho. Vou tentar o melhor possível. Amanhã é descanso e tentaremos recuperar”.

Jesus Ezquerra salientou a dificuldade do dia e referiu que ainda procurou ajudar Marque na subida no Alto do Viso: “Tínhamos o Nocentini na frente e o Alejandro Marque atrás. Ainda parei para tentar ajudá-lo a chegar à frente. Acabou por perder tempo, mesmo depois de reduzir o espaço. A W52-FC Porto colocou um ritmo fortíssimo e o Marque passou momento difícil”.

Frederico Figueiredo foi assistido pelos médicos da prova durante a etapa.

Vidal Fitas referiu “É evidente que era bom que o Marque não perdesse o tempo que perdeu. Não está fora porque não se sabem as voltas que a corrida pode dar. Continua a ter um papel muito importante dentro da equipa”, mas aponta Nocentini à geral e permanece confiante nas possibilidades do Sporting-Tavira: “O Rinaldo está bem. Ganhou um segundo. É pouco, mas é um segundo. Continuamos na luta pela Volta, o Nocentini está bastante bem e tudo é possível, mesmo que não o levem muito a sério”.

O director-desportivo afirma “Há chegadas a Santo Tirso, a Oliveira de Azeméis e à Guarda. São três etapas bastante duras, que vão fazer mais diferenças do que até aqui porque o cansaço acumula-se. As diferenças passarão de segundos a minutos”. (…) “Há sítios onde podemos ganhar tempo”.

Na sexta-feira cumpre o dia de descanso, sendo retomada a prova no sábado com a sétima etapa a ligar Lousada e Santo Tirso, depois de 161,9 km de percurso. Apenas duas metas de montanha, a primeira na Serra dos Campelos e um final em alto em mais um Santuário, desta feita o da Nossa Senhora da Assunção, depois de quase 7.000 metros de subida.

 

Classificação da etapa

1.º Rui Sousa, RP Boavista, 4:41.50

2.º Vicente García de Mateos, Louletano-Hospital de Loulé, a 4′

3.º Rinaldo Nocentini, Sporting-Tavira, m.t

4.º Gustavo Veloso, W52-FC Porto, m.t

5.º Raúl Alarcón, W52-FC Porto, m.t

16.º Alejandro Marque, Sporting-Tavira, a 1.22′

24.º Jesus Ezquerra, Sporting-Tavira, a 5.14′

33.º Mario Gonzalez, Sporting-Tavira, a 7.41′

60.º Frederico Figueiredo, Sporting-Tavira, a 22.54′

68.º Luís Fernandes, Sporting-Tavira, a 22.54′

95.º Fábio Silvestre, Sporting-Tavira, 29.06′

100.º Valter Pereira, Sporting-Tavira, 29.06′

 

Classificação geral individual

1.º Raúl Alarcón, W52-FC Porto, 28:09.22

2.º Rinaldo Nocentini, Sporting-Tavira, a 24′

3.º Amaro Antunes, W52-FC Porto, a 30′

4.º Vicente García de Mateos, Louletano-Hospital de Loulé, a 34′

5.º Gustavo Veloso, W52-FC Porto, a 39′

10.º Alejandro Marque, Sporting-Tavira, a 1.56′

26.º Jesus Ezquerra, Sporting-Tavira, a 12.08′

34.º Frederico Figueiredo, Sporting-Tavira, a 25.22′

39.º Luís Fernandes, Sporting-Tavira, a 29.45′

61.º Mario Gonzalez, Sporting-Tavira, a 46.58′

95.º Valter Pereira, Sporting-Tavira, 01:22.33′

100.º Fábio Silvestre, Sporting-Tavira, 01:25.09′

 

Classificação colectiva

1.º W52-FC Porto, 84:29.56 horas

2.º Efapel, a 4.33′

3.º RP Boavista, a 7.54′

4.º Sporting-Tavira, a 7.57′

 

Fonte: in Sporting.pt

Photos © João Fonseca Photographer

 

#SportingTavira

#CiclismoTavira

#Tavira

#PaixãoPeloCiclismo

Leave a Reply