shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0,00
View Cart Check Out

FOTOS_C_LOGOS

Nocentini e Marque no Top-5 da Volta a Portugal

Dois lugares no top-5 da Volta a Portugal para o Sporting-Tavira. Rinaldo Nocentini terminou em nono o contra-relógio de 20,1 km em Viseu com o tempo de 26.57 minutos, mais 57 segundos do que Gustavo Veloso, da W52-FC Porto, vencedor da tirada, com a média de 46,385 km/hora.

 

O italiano não conseguiu o terceiro lugar, com García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) a conseguir o quinto melhor tempo da jornada.

Alejandro Marque acabou a etapa no terceiro posto, a 18 segundos do vencedor. Marque subiu ao quinto lugar da geral, consolidando o Sporting-Tavira com dois ciclistas no top-5.

 

Os verdes e brancos foram também a segunda melhor formação do dia, acabando no quarto posto da classificação colectiva.

 

Alejandro Marque saltou de sétimo para o quinto lugar, mas o foco estava mesmo no triunfo do contra-relógio de 20,1 km, em Viseu: “Queria ganhar o contra-relógio. O pódio da geral já estava longe, ser quinto ou sexto já faz pouca diferença. Estou contente pela Volta que fiz, tendo em conta a pequena fissura que tenho na costela. Sei o que sofri todos os dias. Acabar nesta posição foi espectacular”.

 

 

Rinaldo Nocentini confirmou que o terceiro lugar era um objectivo que ficou por cumprir, não sem antes referir que o contra-relógio teve muito mais a ver com a recuperação do que a habilidade na disciplina: “O quarto posto não é mau. Preferia o pódio, mas é ciclismo. Normalmente, o Vicente [García de Mateos] não tem o crono como disciplina. Mas, no final de uma Volta dura, acaba por ter tudo a ver com recuperação. Agora, sim, esperava poder subir ao pódio”.

 

 

Vidal Fitas valorizou o comportamento da equipa e encontra motivos para sorrir no final da Volta a Portugal: “O facto de termos andado condicionados na Volta tirou-nos força. Poderíamos não ter ganho, mas estaríamos mais fortes e a corrida seria mais discutida. Demos um salto competitivo em relação ao ano passado. Temos vindo a evoluir e conseguimos chegar aqui para discutir a Volta. Há atletas que têm de evoluir em termos de mentalidade e foi bom porque aqui aprenderam. Perder ou ganhar nunca sabes se consegues. Lutar pela vitória é algo diferente. E nós lutámos. Não fizemos mais porque não conseguimos. Já conseguimos andar pelos primeiros lugares e assumir a corrida. Os que cá estiveram deram boa conta de si, têm mais do que pensam. Faz diferença ter uma equipa de jovens. Estivemos muito perto de ganhar etapas, levamos o quarto e o quinto, logo só posso estar satisfeito. Fizemos frente à equipa que tem dominado nos últimos anos. O que fizemos não envergonha ninguém”.

 

Vidal Fitas afirma que a marcação da W52-FC Porto durante a competição foi um sinal de respeito: “É um sinal de crescimento, de respeito. Os ataques direccionaram-se a nós e respondemos da maneira que era possível responder. Nem sempre foi possível reagir de forma a complicar a nossa vida ao adversário. Contudo, este ano ultrapassámos outras equipas e isso é um bom sinal. Espero estar cá em 2018 sem contrariedades para lutar com as equipas que sejam candidatas”.

 

O presidente do Clube de Ciclismo de Tavira, Marcelino Teixeira, sublinhou que existiram impedimentos decisivos para que a prestação do Sporting-Tavira não fosse mais competente. Ainda assim, o responsável agradeceu o esforço e elogiou a formação verde e branca: “Dentro das nossas possibilidades, termos um quarto e um quinto classificado é um bom resultado. Queríamos mais, mas tivemos muitas condicionantes. Tentámos fazer o melhor possível. Estamos a acompanhar o esforço dos atletas. Ninguém duvida de que deram o seu máximo. Quando digo contrariedades não falo só de quedas nem de lesões. Esta não seria a equipa ideal para a Volta a Portugal, um dos que ficou de fora seria um dos líderes [Joni Brandão], por exemplo”.

 

 

Classificação etapa 10, Viseu-Viseu, contra-relógio de 20,1 km

1.º Gustavo Veloso, W52-FC Porto, 0:26.00 minutos

2.º Raúl Alarcón, W52-FC Porto, a 15 segundos

3.º Alejandro Marque, Sporting-Tavira, a 18 segundos

4.º António Carvalho, W52-FC Porto, a 24 segundos

5.º Vicente García de Mateos, Louletano-Hospital de Loulé, a 36 segundos

9.º Rinaldo Nocentini, Sporting-Tavira, a 57 segundos

14.º Jesus Ezquerra, Sporting-Tavira, a 1.17 minutos

40.º Mario Gonzalez, Sporting-Tavira, a 2.06 minutos

53.º Fábio Silvestre, Sporting-Tavira, a 2.40 minutos

98.º Valter Pereira, Sporting-Tavira, a 4.13 minutos

104.º Luís Fernandes, Sporting-Tavira, a 4.31 minutos

 

 

Classificação geral individual da 79ª Volta a Portugal 2017

1.º Raúl Alarcón, W52-FC Porto, 41:46.14 horas

2.º Amaro Antunes, W52-FC Porto, a 1.23′

3.º Vicente García de Mateos, Louletano-Hospital de Loulé, a 5.25′

4.º Rinaldo Nocentini, Sporting-Tavira, a 5.54′

5.º Alejandro Marque, Sporting-Tavira, a 7.10′

28.º Jesus Ezquerra, Sporting-Tavira, a 50.00′

40.º Mario Gonzalez, Sporting-Tavira, a 1:21.39′

53.º Luís Fernandes, Sporting-Tavira, a 1:39.52′

86.º Valter Pereira, Sporting-Tavira, a 2:26.00′

98.º Fábio Silvestre, Sporting-Tavira, a 2:45.49′

 

Classificação colectiva

1.º W52-FC Porto, 125:26.02 horas

2.º RP Boavista, a 23.49′

3.º Efapel, a 28.08′

4.º Sporting-Tavira, a 43.32′

 

Classifcação por Pontos

Vicente García de Mateos, Louletano-Hospital de Loulé

 

Classificação da Montanha

Amaro Antunes, W52-FC Porto

 

Classificação da Juventude

Krists Neilands, Israel Cycling Team

 

Fonte: in Sporting.pt

Photos © João Fonseca Photographer

 

#SportingTavira

#CiclismoTavira

#Tavira

#PaixãoPeloCiclismo

Leave a Reply