FESTIVAL DE PISTA 2018

Cartaz-Festival-Pista-2017

O Festival de Pista irá decorrer no dia 5 Outubro, às 15h00, na Pista do Ginásio Clube de Tavira, com a presença de todas as equipas profissionais nacionais e equipa feminina do Sporting/Tavira.

 

Marque mantém o segundo posto à Geral e Silvestre foi o melhor atleta na etapa conseguindo o 12.º lugar

FOTOS_C_LOGOSApós a mais longa etapa da edição de 2017 da Volta a Portugal, percorrida sob sol e calor intenso, só as quedas poderiam dificultar o cenário. A tradicionalmente difícil chegada a Castelo Branco voltou a cortar o pelotão e Alejandro Marque, segundo à geral, foi um dos envolvidos, caindo a dois quilómetros do término da linha de meta.

Ainda assim, é cumprida a regra de igualar os tempos do vencedor da etapa a quem chegou inserido no pelotão até aos últimos 3.000 metros. Fábio Silvestre apresentou-se como o melhor ciclista do Sporting-Tavira com o 12.º lugar, já depois de também ter sofrido problemas na colocação para o sprint final. Dos ciclistas mais sonantes, Rui Vinhas, vencedor em 2016, e Edgar Pinto, líder da LA Alumínios, também caíram, mas antes da barreira dos três quilómetros.

Durante a tirada de 214,7 km, com o regresso às partidas no Alentejo, desta feita em Reguengos de Monsaraz, 10 fugitivos animaram a corrida desde os primeiros metros de etapa. João Matias (LA Alumínios) era o que mais perigava a camisola amarela de Raúl Alarcón, mas, à medida que a fuga se foi dissolvendo, a perseguição da W52-FC Porto, mas também de Sporting-Tavira e Efapel foi suficiente para caçar o último dos escapados a 5 km da meta, valendo uma chegada nas melhores condições a Samuel Caldeira, que bateu o italiano Antonio Parrinello (GM Europa Ovini) e o francês Stéphane Poulhies (Armée de Terre).

Alarcón preserva a amarela, previsivelmente seis segundos à frente de Alejandro Marque, com Nocentini no quarto posto da geral individual.

Na segunda-feira corre-se a terceira etapa, entre Figueira de Castelo Rodrigo e Bragança, num percurso de 162,7 quilómetros, que terá três contagens de montanha (duas de terceira categoria e uma de segunda), antes de um final que contém duas passagens pela meta.

 

Classificação da etapa

1.º Samuel Caldeira, W52-FC Porto, 5:38.16 horas

2.º Antonio Parrinello, GM Europa Ovni, m.t

3.º Stéphane Poulhies, Armée de Terre, m.t

 

12.º Fábio Silvestre, m.t

16.º Luís Martins,

19.º Rinaldo Nocentini,

23.º Jesus Ezquerra,

47.º Valter Pereira,

61.º Frederico Figueiredo,

60.º Alejandro Marque,

65.º Mario Gonzalez

 

Classificação geral individual

1.º Raul Alarcón, W52-FC Porto, 10:40.45 horas

2.º Alejandro Marque, Sporting-Tavira, a 6 segundos

3.º Domingos Gonçalves, RP Boavista, a 15′

4.º Rinaldo Nocentini, Sporting-Tavira, a 16′

5.º Gustavo Veloso, W52-FC Porto, a 17′

6.º Sérgio Paulinho, Efapel, a 20′

7.º Amaro Antunes, W52-FC Porto, a 220

8.º Rui Sousa, RP Boavista, a 25′

9.º García de Mateos, Louletano-Hospital de Loulé, a 29′

10.º Davide Rebellin, Kuwait Cartucho ES, a 32′

 

Classificação colectiva

1.º W52-FC Porto, 32:03.04 horas

2.º Sporting-Tavira, a 18 segundos

3.º RP Boavista, a 45 segundos

 

Fonte: in Sporting.pt

Photos © João Fonseca Photographer

 

#SportingTavira

#CiclismoTavira

#Tavira

#PaixãoPeloCiclismo

Sporting-Tavira a postos para a Volta a Portugal

JAF_7329

Vidal Fitas destaca candidatos para o prólogo e Joaquim Gomes, director da prova, assume que os leões têm candidatos credíveis.

Segunda ficha no carrossel da Volta a Portugal para o Sporting-Tavira. Os verdes e brancos partem para 79.ª edição da Volta a Portugal, com início marcado para amanhã, dia 04 de Agosto, em Lisboa.

O Sporting CP procura a 10.ª vitória individual da sua história e tanto Rinaldo Nocentini como Alejandro Marque podem assumir a função de líder de equipa. Tanto assim é que Joaquim Gomes, director da prova, reitera que o Sporting-Tavira pode contrariar o favoritismo recente da W52-FC Porto: “A Volta a Portugal é uma prova por etapas de grande exigência. Qualquer um desses corredores [Nocentini e Marque] tem categoria para vencer a prova. Efectivamente, nas últimas edições, a W52-FC Porto, e alguns ciclistas que agora lá competem, têm experiência e, teoricamente, estão num patamar superior de favoritismo. Contudo, no desporto a questão do favoritismo é relativa. Fui favorito em quase todas as Voltas em que participei e só ganhei duas. Espero que os Sportinguistas tenham legítimas esperanças na equipa e que esperem de forma abnegada que um dos vossos ciclistas possa chegar à vitória.

Vidal Fitas, director-desportivo dos leões revelou-se confiante numa boa prova e contou ao Jornal Sporting quem considera candidato a vencer o prólogo de 5,4 com partida e chegada em Belém após passagem por Alcântara: “Gustavo Veloso [W52-FC Porto], Alejandro Marque, Jesus Ezquerra, Fábio Silvestre [Sporting-Tavira], Domingos Gonçalves [RP Boavista] e Sérgio Paulinho [Efapel]. Para o Marque o percurso poderia ser mais longo, mas para o Ezquerra e para o Fábio considero a distância ideal.

Nocentini está catalogado como candidato à amarela, muito pela capacidade em fazer diferenças nas subidas mais curtas, mas, para o director-desportivo, a ambição é sempre ganhar tempo aos rivais, até num prólogo: “Bom resultado era ficar à frente. Não faço ideia de quem possa vencer o prólogo. O vento pode ser um factor importante, a previsão é de que na parte final esteja mais forte do que no início e isso pode ser determinante”.

Fábio Silvestre quer fazer um bom prólogo e procurar um sprint vitorioso em Setúbal para liderar a corrida.

Vidal Fitas apontou Marque para um bom prólogo, mas reconhece que os 5,4 km de extensão do início da Volta em Lisboa beneficiam sprinters ou homens rápidos no plano. Fábio Silvestre assume o desejo de corresponder às expectativas e de, quem sabe, poder envergar a mais desejada camisola da prova-rainha: “Darei o meu melhor. É um prólogo rápido, preferia que fosse mais técnico, mas vou dar o meu máximo nestas primeiras etapas. Seguramente que o vencedor vai ‘andar’ perto dos 51 km/hora como velocidade média. O objectivo passa por vestir a amarela, ainda que seja previsível que os principais candidatos se tentem já posicionar na geral. Procurarei passar a serra da Arrábida no segundo dia [primeira etapa em linha] e ver como corre”.

Jesus Ezquerra foi o único a erguer os braços ao céu em 2016 e, apesar de querer repetir o feito, admite que o foco está na geral individual: “Para mim foi uma vitória importante. Gostei muito de a conseguir. Contudo, este ano faremos tudo para ajudar os nossos líderes. Ainda que possa tentar vencer na primeira etapa [em linha], depois a concentração é toda para eles”.

O director-desportivo aponta o espanhol como pretendente ao triunfo no prólogo, mas Ezquerra considera que há corredores mais bem posicionados: “Ele disse que eu e o Fábio [Silvestre] temos possibilidades, mas temos de ver. Há muitos companheiros que podem conseguir vencer o prólogo. O Marque, por exemplo. Para mim é mais difícil, porque o percurso favorece roladores e sprinters“.

Fonte: in Sporting.pt

Fotos: João Fonseca

SPORTING/TAVIRA e Nocentini lideram o raking nacional de ciclismo

JAF_1019

Sporting Tavira 1A

Rinaldo Nocentini assumiu a liderança do ranking de Fevereiro elaborado pela Associação Portuguesa de Ciclistas Profissionais, referente ao primeiro mês de competição da época de 2017. O italiano foi nono na Volta ao Algarve e segundo na Volta ao Alentejo, onde ganhou a primeira etapa.

O mais importante ranking nacional de ciclismo demonstra o excelente mês de Fevereiro do SPORTING/TAVIRA.

O SPORTING/TAVIRA junta o comando coletivo ao individual. Rinaldo Nocentini fecha o mês de fevereiro com 370 pontos, mais 125 do que Amaro Antunes (W52-FC Porto). Sob orientação de Vidal Fitas, a equipa concretizou 460 pontos, distanciando-se da W52-FC Porto com 255. Segue-se a LA Alumínios-Metalusa BlackJack, com 153.

Na lista individual, o SPORTING/TAVIRA é a única formação que consegue incluir três ciclistas no “Top 10 Nacional”. Alejandro Marque é sexto, após conseguir o 13.º posto, tanto no Algarve como no Alentejo. Fábio Silvestre é oitavo graças ao terceiro lugar na Prova de Abertura.

Ranking Ciclista do Ano
1.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), 370 pontos
2.º Amaro Antunes (W52-FC Porto), 245
3.º Edgar Pinto (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), 148
4.º Francisco Campos (Miranda/Mortágua), 70
5.º Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), 60
6.º Alejandro Marque (Sporting-Tavira), 55
7.º César Martingil (Liberty Seguros/Carglass), 50
8.º Fábio Silvestre (Sporting-Tavira), 35
9.º Rafael Silva (Efapel), 35
10.º Ivo Oliveira (Axeon Hagens Berman), 30

Ranking Equipa do Ano
1.ª Sporting-Tavira, 460
2.ª W52-FC Porto, 255
3.ª LA Alumínios-Metalusa BlackJack, 153
4.ª Louletano-Hospital de Loulé, 116
5.ª Miranda/Mortágua, 70

Fonte: Federação Portuguesa de Ciclismo
Photo © João Fonseca Photographer

Rinaldo Nocentini a apenas 3 segundos do novo camisola amarela

JAF_1660

A segunda etapa da Volta ao Alentejo com partida de Monforte e chegada a Portel, numa ligação de 171,3 kms, teve chegada ao sprint após várias tentativas de fuga.

O holandês Jacob Ariesen (Metec-TKH Mantel) venceu hoje ao sprint a segunda etapa da Volta ao Alentejo. O espanhol Carlos Barbero (Movistar Team) foi o segundo mais rápido e agora o líder da geral individual.

Rinaldo Nocentini (SPORTING/TAVIRA) é o segundo classificado à geral, a 3 segundos do novo camisola amarela.

O SPORTING/TAVIRA é actualmente o terceiro classificado por equipas, atrás das formações AXEON HAGENS BERMAN (USA), e MANZANA POSTOBON TEAM (COL).

Geral Individual após 2ª etapa:

1.º Carlos Barbero (Movistar Team), 7h54m18s

2.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), a 3s

3.º Eduard Prades (Caja Rural-Seguros RGA), a 7s

4.º Krister Hagen (Team Coop), a 10s

5.º Edward Dunbar (Axeon Hagens Berman), a 11s

6.º Daniel Mestre (Efapel), mt

7.º Rafael Silva (Efapel), a 12s

8.º Jan Tratnik (CCC Sprandi Polkowice), a 13s

9.º Edgar Pinto (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), mt

10.º David de la Fuente (Louletano-Hospital de Loulé), mt

#SportingTavira

#CiclismoTavira

#Tavira

#PaixãoPeloCiclismo

#VoltaAlentejo2017

 

35ª Volta Alentejo – Photo © João Fonseca Photographer

 

Nocentini é camisola amarela na 35ª Volta ao Alentejo

thumbs.web.sapo.io
Rinaldo Nocentini após uma boa prestação na Volta ao Algarve, deu o primeiro triunfo da época ao SPORTING/TAVIRA, ao vencer a primeira etapa da Volta ao Alentejo.

A 1ª Etapa da 35ª Volta ao Alentejo ligou Portalegre a Castelo de Vide (158 kms), marcada pela média montanha.

Amanhã a segunda etapa liga Monforte a Portel (171,3 kms).

Classificação – 1.ª Etapa
1.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), 4h04m09s
2.º Eduard Prades (Caja Rural-Seguros RGA), mt
3.º Carlos Barbero (Movistar Team), mt
4.º David de la Fuente (Louletano-Hospital de Loulé), mt
5.º Jan Tratnik (CCC Sprandi Polkowice), mt
6.º Edgar Pinto (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), mt
7.º Jasper de Laat (Metec-TKH Mantel), mt
8.º Andrey Amador (Movistar Team), mt
9.º Jetse Bol (Manzana Postobón), mt
10.º Krister Hagen (Team Coop), mt

Geral Individual
1.º Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), 4h03m59s
2.º Eduard Prades (Caja Rural-Seguros RGA), a 4s
3.º Carlos Barbero (Movistar Team), a 6s
4.º David de la Fuente (Louletano-Hospital de Loulé), a 10s
5.º Jan Tratnik (CCC Sprandi Polkowice), mt
6.º Edgar Pinto (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), mt
7.º Jasper de Laat (Metec-TKH Mantel), mt
8.º Andrey Amador (Movistar Team), mt
9.º Jetse Bol (Manzana Postobón), mt
10.º Krister Hagen (Team Coop), mt

#SportingTavira
#CiclismoTavira
#Tavira
#PaixãoPeloCiclismo
#VoltaAlentejo2017

Segunda melhor equipa da etapa e Nocentini foi sexto no Malhão

JAF_0309

O SPORTING/TAVIRA assumiu-se como a segunda melhor equipa na etapa, ao finalizar com três ciclistas no ‘top-30’, e, com Rinaldo Nocentini em fechando em sexto lugar a etapa, subindo desta forma a nono da classificação geral.

O italiano do Sporting-Tavira culminou uma excelente ‘Algarvia’, ficando entre os dez melhores, em prova com adversários de nível mundial.

Alejandro Marque foi 24.º e Jesus Ezquerra foi 26.º, fazendo com que a equipa subisse para o sexto lugar colectivo, e, consequentemente, ser a melhor formação entre as portuguesas e nas divisões fora World Tour.

Marque conseguiu assim terminar a prova em 13.º, a 2:46 minutos do vencedor Amaro Antunes (W52/FC Porto), numa etapa que ligou Loulé ao Alto do Malhão (Loulé) com 179,2 kms.

A Astana venceu a etapa colectivamente e ganhou a geral por equipas, a apenas 15 segundos de vantagem para o SPORTING/TAVIRA.

 

Lista de resultados dos ciclistas do Sporting-Tavira na Etapa 5:

6.º, Rinaldo Nocentini, a 16 segundos

24.º, Alejandro Marque, a 54 segundos

26.º, Jesus Ezquerra, a 55 segundos

94.º, David Livramento, a 6.49 minutos

118.º, Shaun Nick-Bester, a 10.43 minutos

129.º, Joni Brandão, a 12.42 minutos

147.º, Fábio Silvestre, a  19.24 minutos

149.º, Oscar Brea, a 19.25 minutos

 

O SPORTING/TAVIRA termina a 43ª VOLTA AO ALGARVE como 6 classificado por equipas e a melhor formação portuguesa e dos colectivos fora Wold Tour.

 

#SportingTavira

#CiclismoTavira

#Tavira

#PaixãoPeloCiclismo

#VoltaAlgarve2017

#VAlgarve2017

 

43ª Volta Algarve – Photo © João Fonseca Photographer

Etapa 3: Almodôvar/Tavira – 203,4 kms

JAF_8689

Os sprinters da Volta ao Algarve tiveram hoje o seu último dia de brilho. A quarta etapa ligou Almodôvar a Tavira, num total de 203,4kms de extensão sendo a mais longa tirada da ‘Algarvia’.

Chegada ao sprint como previsto com Andre Greipel (Lotto Soudal) a ser o vencedor, num sprint técnico (antes da recta final existem duas rotundas para percorrer, antecedida por uma apertada viragem à direita, perigosa para quedas a alta velocidade).

Greipel venceu num despique com John Degenkolb (Trek-Segafredo) sendo necessário o recurso ao photo finish.

Fábio Silvestre foi a aposta do SPORTING/TAVIRA para a chegada a Tavira, conseguindo o 21º lugar na etapa.

Na classificação geral Rinaldo Nocentini continua em 10.º lugar, a 1m56s do Camisola Amarela Turismo de Portugal.

A Etapa 5 e última tirada parte de LOULÉ com chegada ao ALTO DO MALHÃO (LOULÉ), numa distância de 179,2 kms, será o derradeiro dia para as decisões finais desta 43ª Volta ao Algarve.

#SportingTavira

#CiclismoTavira

#Tavira

#PaixãoPeloCiclismo

#VoltaAlgarve2017

#VAlgarve2017

43ª Volta Algarve – Photo © João Fonseca Photographer

 

Alejandro Marque registou o melhor tempo entre as equipas portuguesas

JAF_6036
O espanhol Jonathan Castroviejo (Movistar) venceu a terceira etapa da Volta ao Algarve, completando o contra-relógio individual de 18kms, em Sagres, com a marca de 21.24 minutos.

O Alejandro Marque foi o melhor do SPORTING/TAVIRA e das equipas portuguesas a chegar à Fortaleza de Sagres com 22.15 minutos (21.º).

Nocentini é agora o 10.º classificado na geral, a 1.56m de Roglic (camisola amarela), depois de terminar em 55.º, com 22.46m.

Marque subiu ao 14.º posto da geral (a 2.08 do novo líder) e o SPORTING/TAVIRA assume-se como a melhor equipa portuguesa até ao momento na Volta ao Algarve, conseguindo agora o 8º lugar, sendo a melhor equipa nacional em prova.

Etapa 3:
21.º Alejandro Marque (22.15 minutos) a 51 segundos do vencedor
38.º Oscar Brea (22.33 minutos) a 1.08
55.º Rinaldo Nocentini (22.46 minutos) a 1.21
63.º Jesus Ezquerra (22.51 minutos) a 1.26
123.º Joni Brandão (23.48 minutos) a 2.23
154º Shaun Nick-Bester (24.12 minutos) a 2.47
176.º Fábio Silvestre (24.36 minutos) a 3.12
180.º, David Livramento (24.55 minutos) a 3.31

A quarta etapa liga Almodôvar a Tavira, num total de 203,4km de extensão, a mais longa tirada da ‘Algarvia’, com uma contagem de montanha (4ª categoria), mas a 20km da meta há uma subida que pode condicionar alguns velocistas.

Prevê-se uma chegada ao sprint em Tavira e Fábio Silvestre voltará a ser a aposta maior para o SPORTING/TAVIRA brilhar no Algarve.

43ª Volta Algarve – Photo © João Fonseca Photographer

#SportingTavira
#CiclismoTavira
#Tavira
#PaixãoPeloCiclismo
#VoltaAlgarve2017
#VAlgarve2017

Rinaldo Nocentini foi 5º classificado no Alto da Fóia

nocentini_3a

Rinaldo Nocentini finalizou em quinto lugar na primeira tirada em alto da “Algarviana” (33seg), que ligou Lagoa ao Alto da Fóia (189,3km).
A fuga do dia com oito ciclistas foi controlada pela Quick-Step, a Katusha e a Astana. A Quick-Step atacou a 10 km da meta e ganhou um avanço sobre os demais competidores.
Nocentini e Alejandro Marque comandaram o grupo que alcançou o quarteto da frente já nos últimos 3km. O irlandês Daniel Martin atacou a 3km da meta, conseguindo a vitória. O irlandês venceu no Alto da Fóia e é o novo camisola amarela da Volta ao Algarve.
Alejandro Marque fez 16.º, a 1.16 minutos, e entra directamente para o ‘top-15’ da Volta ao Algarve. Vidal Fitas destaca que Marque e Nocentini ainda têm pela frente as etapas mais adequadas às suas características:
“É perfeitamente possível terminar esta Volta ao Algarve nos cinco melhores. O Rinaldo [Nocentini] defende-se bem no contra-relógio e tem a etapa no Malhão, que se adequa melhor às suas características”, antevendo a subida ao Malhão, como mais adequado ao italiano com maior inclinação mas menos distância.
O Nocentini falou à Sporting TV da sua satisfação na classificação da 2ª etapa: “É a primeira corrida do ano. Não sabia como me iria sentir, só conhecia o meu treino. No final, não esteve mal. Estou em boa condição e vou disputar a classificação geral”.
Alejandro Marque seguiu na roda de Nocentini mas foca-se no dia de amanhã, sexta-feira, com um contra-relógio de 18km, em Sagres: “As sensações foram mudando, fui melhorando e acabo num bom lugar [15.º]. Agora, vou dar tudo no contra-relógio”.
Vidal Fitas reforçou a ideia: “O contra-relógio é a etapa em que o Alejandro se pode sair melhor e acredito que possa ganhar alguns lugares amanhã”.
O SPORTING/TAVIRA consegue ‘top-10’, tanto individual como colectivo, ambicionando por melhores resultados nas etapas que restam contra os melhores do mundo.
#SportingTavira
#CiclismoTavira
#Tavira
#PaixãoPeloCiclismo
#VoltaAlgarve2017
#VAlgarve2017
43ª Volta Algarve – Photo © João Fonseca Photographer

Proudly powered by Wpopal.com